O Portugal que ainda somos

  A.M. GALOPIM DE CARVALHO A propósito do momento político que estamos a viver pergunto: como é que a democracia consente o crescimento de um poder que a irá destruir? O protagonismo que, em especial, as televisões estão a dar ao partido neonazi (a cumprir muito bem o seu papel) está a dar-lhe, precisamente, o …

Praias, mar e pescadores

  RUTE MARTINHO A Raul Brandão e sua obra “Os Pescadores” Praias, Mar e Pescadores. Paleta pintura de palavras. 25 de Junho de 2020 Rute Elisa de Matos Martinho

Às vezes chegam cartas

  NICOLAU SAIÃO SOBRE CRUZEIRO SEIXAS   Em 2018 Cruzeiro Seixas enviou-me duas cartas. Uma delas agradecendo com fraternal pormenor o envio que lhe fizera de livros meus.  A outra, que carreava a oferta de um seu catálogo-livro, era mais extensa e nela se alongava em reflexões de índole pessoal norteadas por uma comovente humildade …

Não praticantes e o covid-19

  AIRES GAMEIRO (Funchal) Há uns tempos um amigo dizia diante do grupo, com certa satisfação, que era um católico não praticante. É isso, o coronavírus veio multiplicar os não praticantes de quase tudo. Os estudantes foram obrigados a ficar em casa e a não praticar a escola. Escolas fechadas. Muitos trabalhadores ficaram não praticantes, …

Nomar Oporte Liberneo

  ANA ANKA El tiempo cronólgico parece que se nos  va más rápido y en esta pandemia sentimos su fluir atropellado y en cambio  el tiempo subjetivo, sigue detenido o lento en tiempos o destiempos, como  en neblinas de continuas ósmosis de realidad y soñar sin intercambios abruptos;  que en mi caso particular las imágenes …

Revisitando conceitos sobre formação de professores

PATRÍCIA AP. BIOTO & PATRÍCIA SANTANA FREIRE PERES Patrícia Ap. Bioto (Brasil). Pedagoga pela UNESP-Araraquara. Mestre em Fundamentos da Educação pela UFSCAR. Doutora em Educação pela PUCSP. Pós-doutoranda pela PUCSP. Professora no ensino superior desde 2000. Professora do Mestrado em Gestão e Práticas Educacionais da Universidade Nove de Julho e do curso de Pedagogia da …

Lágrimas do mundo

  JONAS PULIDO VALENTE Não acordei, foi um suor frio entre as camadas da pele, uma violação dos poros, com a barriga a tremer de ansiedade que me fez levantar. Não tinha dinheiro suficiente, tentei palavrear poucos euros para algum álcool para me esquecer das minhas aflições do dia, tão reais, tão humanas. A chuva …