Procurar textos
 
 

 






MANUEL BANDEIRA
Biografia
Epígrafe - Minha grande ternura - Debussy
O rio - A estrela - Cotovia
Consoada - Andorinhas - A fina, a doce ferida
Arte de amar - Auto-retrato - Água-forte
Belo belo I - Belo belo II - Canção das duas índias
Balõezinhos - Brisa - O último poema
Canção da Parada do Lucas - Chama e fumo - O cacto
Testamento - A Camões - A António Nobre
Vou-me embora pra Pasárgada - Rondó dos Cavalinhos
 
Para entender um pouco mais de Manuel Bandeira: Ricardo Daunt
Manuel Carneiro de Sousa Bandeira Filho nasceu em Recife.
Com 17 anos foi para São Paulo a fim de ingressar na Escola Politécnica (1904). No ano
seguinte ficou tuberculoso. Por esse motivo, abandonou os estudos, passando temporadas
em várias cidades buscando climas mais propícios.
Em 1913, vai à Suíça, em busca de tratamento, regressando em 1914 pelo início da Primeira
Grande Guerra.
Seu primeiro livro é publicado em 1917 : A Cinza das Horas.
Manuel Bandeira pertence à Primeira Fase do Modernismo Brasileiro. Muito embora não tenha
participado da Semana de 22,seu poema Os Sapos provocou reações radicais na segunda noite
do evento.
O poeta morreu com mais de 80 anos, em 13 de outubro de 1968. Suas principais obras são :
Cinza das Horas, Carnaval, O Ritmo Dissoluto, Libertinagem, Lira dos Cinquent'anos,
Estrela da Tarde
, Estrela da Vida Inteira, Crônicas da Província do Brasil, Itinerário de
Pasárgada
, Fraude de Papel, etc.

Fonte: http://orbita.starmedia.com/~poemapage/Bandeira.htm
 
   

 

 

 


hospedagem
Cyberdesigner:
Magno Urbano