Teatrim Galhofa

ZUCA SARDAN & ANA BORGES


TEATRIM GALHOFFA  / Guinhol de Zuca Sardan e Ana Borges

 

ASTRALHA, sottovoce, escondida na cortina) – Ouçamos o que dizem il

Barone Bordone e Madame, durante o intervalo, em seu luxuoso camarote…

 

BORDONE)- Pois, Madame, respondei-me agora então: por onde onde

quiçás andarão Despina e Dorabella ?… Folhas ao vento … …

MADAME)- Você me fez lembrar da Marguerite Yourcenar, num livro de

entrevistas que li em espanhol, /Con los ojos abiertos/. Ela conta

unas cositas mucho locas ali. Fala dos seus métodos com os

personagens: deitar na rede e ficar chamando até ele aparecer .

 

BORDONE, ajeita o monoclo)- E como ela chama ? por telefone ?

Precisaria do número… Ou então… se balançando ? Sim (estala os

dedos) PLEC-PLEC !, deve ser se balançando na rede, pralá e pracá,

pracá e pralá…

MADAME)- Ou então direcionando os /Ejercicios espirituales/ de

Ignacio de Loyola. Só que em vez de chegar a deus ela queria chegar

ao personagem, supõe-se.

BORDONE, pálido)-  Madame !… Espero que tal suposição não

seja vossa, mas sim do Ignacio, que é um Jesuíta meio atípico,

manhoso,  leninista…

MADAME)- De outra feita, ela conta que mandou fazer o mapa

astral de Zenão, aquele de /Opus nigrum/. O livro já estava escrito.

A astróloga chiou:

ASTRALHA, entra)- Mas como, Madame, vou eu preparar horóscopo

sem a hora de nascimento !…

BORDONE, com brio, pra Astralha)- E  quem a Senhora se imagina,

irrompendo em meu camarote ??? Tenha a gentileza de desaparecer !

ASTRALHA)- RAKATRAKA TRAKA !!!! (explosão:) CAPONGA !!!

(Astralha sumiu)

MADAME)- Sumiu Astralha… E a Yourcenar, no livro diz que foi

ao amanhecer. A astróloga faz o mapa aproximado assim mesmo. Mapa

feito, a leitura      dava…

VOZ rouca d’Astralha, enrolada na cortina)- Lento descenso ao abismo…

BORDONE, pálido, desafoga o colarinho)-  Tudo a ver, Madame,

vos digo eu…

VOZ, d’Astralha, sinistra)- Já estais na bordinha…

 

CORTINA, cai, toda enrolada, gargalhando- PAFFFFFFFF !!!

AH-RA-RA-QUÁ-QUÁ-GRAAHHH- RÁ-RÁ-RÁ-RÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁ !!!…

 

zzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzz

GAZETTA GRALHA – 17-10-18

o vespertino que já traz a notizzia

na véspera do acontecimento .

reporter Zuca Sardan

zzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzz

SENSACIONAL VERNISSAGEM

DA EXPÔ PEDRÔ ALVIM na GALERIA

LUIZ GIRAFA, EM BRASÍLIA

O visual da Galeria Luiz Girafa no dia

da vernissagem da Expô Pedro Alvim

foi uma avalanche da juventude marajoara…

nâo há forró que se compare… o local

ficou apinhado, e com a compressâo,

algumas caboclas mais estufadas

espoucaram pelas janelas…

Felizmente os bravos soldados

do Fogo do Corpo de Bombeiros já

ztavam a postos, impacientes

pra acudirem a qualquer emergência

zzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzz

Ana Borges  (Brasil). Graduada em Sociologia na Universidade de Costa Rica, doutora em Letras Neolatinas pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, professora de Literatura Espanhola na Universidade Federal Fluminense, amadora em tradução e em escrita literária.

Θ

ZUCA SARDAN (Brasil, Rio de Janeiro, 1933). En 1958, publicó Operetta inachevée, seguido de Poemas Zum, 1969, editado mientras el poeta trabajaba en Japón. Sus publicaciones se intensificaron en la década del 70, por lo cual se le asocia con frecuencia al “Grupo do Mimeógrafo”, especialmente por haber participado en la antología 26 Poetas Hoje (1976), en la cual destacaba el gran poeta surrealista Roberto Piva. Zuca transita entre las diferentes manifestaciones artísticas, se desliza entre el poema, el texto-en-prosa-de-fábula y el diálogo dramatúrgico. De igual modo destacan sus mixturas poéticas visuales. Son célebres las performances y exhibiciones surrealistas que ha presentado en diferentes ciudades donde se integra el poema imagen, lo teatral, y elementos musicales.


Θrevista triplov . série gótica . inverno 2018