Adelto Gonçalves

Adelto Gonçalves é indicado assessor do
Centro Lusófono Camões de São Petersburgo

Professor fará trabalho de divulgação das atividades da instituição universitária russa em todos os países de língua oficial portuguesa

O professor Adelto Gonçalves (ao centro), com sua esposa Marilize, e o professor Vadim Kopyl em São Petersburgo

O jornalista e escritor Adelto Gonçalves, professor de Língua Portuguesa do curso de Direito da Universidade Paulista (Unip) e de Jornalismo da Faculdade de Artes e Comunicação (FaAC) da Universidade Santa Cecília (Unisanta), de Santos-SP, foi indicado assessor de imprensa e cultural do Centro Lusófono Camões da Universidade Estatal Pedagógica Hertzen, de São Petersburgo, na Rússia. A indicação foi feita pelo diretor do Centro, Prof. Dr. Vadim Kopyl, durante visita, no começo de julho, do professor brasileiro a São Petersburgo.

As relações do professor Adelto Gonçalves com o Centro Lusófono Camões datam de 2005, quando, por indicação do ex-embaixador do Brasil em Portugal, Dário Moreira de Castro Alves (1927-2010), escreveu prefácio para o livro Contos, de Machado de Assis (1839-1908), publicado em 2006 em edição russo-portuguesa por aquela instituição com o apoio da Embaixada do Brasil em Moscou.

Doutor em Letras na área de Literatura Portuguesa pela Universidade de São Paulo (USP), Adelto Gonçalves também escreveu, em 2007, prefácio para o livro Contos Escolhidos, de Machado de Assis, publicado igualmente em edição bilíngüe pelo Centro Lusófono Camões e Editora Alexandria, de São Petersburgo, com apoio do Ministério das Relações Exteriores do Brasil e da Embaixada brasileira em Moscou. Os dois livros foram vertidos para o russo por tradutores do Centro Lusófono Camões aos cuidados do professor Kopyl.

"Senti muito interesse pelo Brasil por parte dos estudantes russos de Português e pretendo aproveitar essa oportunidade para tornar o trabalho desenvolvido pelo Centro Lusófono Camões mais conhecido não só em nosso país como em Portugal e nos demais países de língua oficial portuguesa”, disse o professor, que é colaborador do quinzenário As Artes Entre as Letras, do Porto, da revista Vértice, de Lisboa, da Revista Forma Breve, da Universidade de Aveiro, do Jornal Opção, de Goiânia, A Tarde, de Salvador, e outros jornais, revistas e sites brasileiros e portugueses. “Quero aproveitar também minhas ligações com o mundo cultural de Moçambique, Angola e demais países de língua portuguesa para levar notícias sobre as atividades do Centro Lusófono Camões, intensificando as nossas relações culturais com a Rússia”, disse.

Para o diretor do Centro, professor Vadim Kopyl, o professor Adelto Gonçalves é a pessoa certa para fazer esse trabalho. “Temos certeza que o professor Gonçalves dará continuidade ao trabalho que o embaixador Dário Moreira de Castro Alves, nosso antigo sócio-honorário, vinha fazendo em favor da divulgação das atividades do Centro Lusófono Camões no mundo de expressão portuguesa”, disse.

Ao Centro Lusófono Camões, o professor brasileiro entregou um exemplar de seu livro Bocage: o Perfil Perdido, publicado em 2003 pela Editorial Caminho, de Lisboa, seu trabalho de pós-doutorado desenvolvido em Portugal em 1999-2000 com bolsa da Fundação de Amparo à Pesquisa no Estado de São Paulo (Fapesp), além de repassar quatro exemplares de Gente Pobre (Biédnie Liúdi), de Fiodor Dostoievski (1821-1881), publicado em março de 2011 pela Associação Cultural Letra Selvagem, de Taubaté-SP, tradução de Luís Avelima, oferecidos pelo editor Nicodemos Sena.

Durante sua visita a São Petersburgo, o professor Adelto Gonçalves foi também recebido no apartamento-museu de Dostoievski pelo vice-diretor e responsável pelo setor científico do Museu, Boris Tikhomirov, ocasião em que fez a entrega à instituição de dois exemplares dos livros de Machado de Assis publicados pelo Centro Lusófono Camões e de um exemplar da mais recente edição brasileira de Gente Pobre, primeiro livro do maior romancista russo de todos os tempos.

Fundado em 1999, o Centro Lusófono Camões começa o ano, em média, com 15 estudantes russos de Português. Os estudantes entram no nível 0, passando para o nível médio, chegando ao nível superior. Em média, formam-se de sete a oito alunos por ano. O Centro já obteve a introdução do Português como língua facultativa numa escola secundária de São Petersburgo, o que significa um potencial alargamento da lista de frequentadores da instituição em futuro próximo. Seus professores têm participado de conferências internacionais na Europa.

Desde a sua fundação, o Centro já publicou outros livros, como o Guia de Conversação Russo-Portuguesa Contemporânea, Poesia Portuguesa Contemporânea (2004), que reúne poemas de 26 poetas portugueses, e Vou-me embora de mim (2007), do poeta português Joaquim Pessoa. A Universidade de Coimbra, a Biblioteca Nacional de Lisboa, o Instituto Camões e a Fundação Calouste Gulbenkian são algumas das instituições culturais portuguesas que também têm cooperado com o trabalho dos lusistas russos.

O professor Adelto Gonçalves (à direita) faz entrega de livros a Boris Tikhomirov, vice-diretor do Museu Dostoievski em São Petersburgo

Adelto Gonçalves é doutor em Literatura Portuguesa pela Universidade de São Paulo e autor de Gonzaga, um Poeta do Iluminismo (Rio de Janeiro, Nova Fronteira, 1999), Barcelona Brasileira (Lisboa, Nova Arrancada, 1999; São Paulo, Publisher Brasil, 2002) e Bocage – o Perfil Perdido (Lisboa, Caminho, 2003). E-mail: marilizadelto@uol.com.br

 

 

 

 




 



hospedagem
Cyberdesigner:
Magno Urbano