Informações Bibliográficas

RICARDO DAUNT
Informações Bibliográficas


Ricardo Daunt é conhecido do leitor português e brasileiro há quase 40 anos. Sua estreia literária deu-se em 1975, quando publicou Juan pela José Olympio. Sua ininterrupta atividade intelectual abarca o ensaio, o conto, a poesia, a novela e o romance.
Ricardo Daunt é doutor em Letras com especialização em Literatura Portuguesa pela Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo, com defesa realizada em maio de 1992. Seu primeiro pós-doutorado foi realizada na área de Literatura Comparada, com projeto de pesquisa desenvolvido em bibliotecas públicas portuguesas, sobre a Arte, a Poesia e a Prosa do movimento do Orpheu, atividade realizada entre novembro de 1992 e maio de 1993. Foi professor visitante na Yale University (New Haven, Connecticut, EUA), onde realizou o segundo pós-doutorado, sobre o pensamento teórico de T. S. Eliot e Fernando Pessoa, expresso nos respectivos textos ensaísticos e de convencimento. Esse trabalho foi levado a termo entre dezembro de 1996 e junho de 1997.
O autor deu aulas no mestrado do departamento de Letras (do Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes — CCHLA, Programa de Pós-Graduação em Estudos da Linguaguem — PPg.EL) da Universidade Federal do Rio Grande do Norte em 1996.
É crítico literário e ensaísta há mais de 35 anos, produzindo ensaios, resenhas e recensões para os principais periódicos brasileiros, dentre eles os jornais Folha de S. Paulo, Jornal do Brasil, O Globo, e as revistas Isto é, Encontros com a Civilização Brasileira e Revista Brasileira, uma publicação da Academia Brasileira de Letras. Foi crítico da Colóquio Letras e da Vértice (Editorial Caminho), de Portugal, bem como das revistas eletrônicas Sibila e TriploV (esta última também portuguesa), com as quais permanece ainda como colaborador.
Poses, o quarto volume de sua tetralogia de ficção curta, é estudado no King´s College do Reino Unido. O extenso romance Migração dos cisnes, ambientado na Europa, representou o Brasil nas quatro últimas edições da Feira do Livro de Frankfurt. Sua ficção é reputada como uma das mais importantes e revolucionárias das últimas décadas no Brasil.
Seu ensaio denominado Orpheu: prosa, poesia e arte, digitalmente publicado em Portugal, foi leitura obrigatória para os candidatos ao curso de Estudos Lusófonos e Linguística da Cambridge University (U. K.) até 2014. Sua obra Poemas de extradição e exílio avança penosamente nesse período, e o autor termina o ano de 2013 trabalhando em um longo poema intitulado ‘Printemps à Paris’, do qual pretende se ocupar durante todo o ano seguinte. Esse poema, posteriormente, tem seu título alterado para “Paris — Printemps” e posteriormente para simplesmente “Paris”
O autor vai a Portugal, realizar conferência e lança a edição portuguesa da obra poética de Cesário Verde. No regresso retoma o romance Adamastor Finkel: entre a sombra e a luz, que dera por findo no ano anterior, realizando grandes alterações e acréscimos. A tarefa atravessa os primeiros meses desse ano e a obra é profundamente modificada, sendo concluída apenas no final de agosto de 2014, quando então ganha o seu título definitivo: Adamastor Finkel: um artista entre a sombra e a luz.
Em princípios de 2015 termina o terceiro volume de sua trilogia poética, Poemas de extradição e exílio no qual se inclui o longo poema “Paris”, que estará terminado e revisto apenas em julho de 2015, acompanhado de um roteiro de leitura e de uma breve teoria acerca do poema curto. Está finda a obra Poemas de extradição e exílio. Com essas providências, encerra em definitivo sua obra poética em julho de 2015. Seu intento imediato é o de promover a publicação de Paris, isoladamente.
No curso do primeiro semestre de 2017 e sobretudo nos meses de julho e agosto daquele ano reavalia os textos já escritos relativos ao movimento modernista europeu e português em especial. Escreve novo capítulo conclusivo para duas das obras que preparou sobre a matéria, a saber A audácia to tédio. Panorama estético do Orpheu em Portugal e Orpheu: prosa, poesia e arte, trazendo à tona diversos argumentos que iluminam por novos ângulos o assunto e que atestam que o Orpheu foi um movimento europeu que transmigrou para Portugal, não um movimento português que se alojou ali, com meras conexões com a Europa.

Obras éditas e inéditas de Ricardo Daunt
até agosto de 2017

Livros

1– Juan (contos). São Paulo, José Olympio, 1975. Fora de mercado.

Ciclo urbano — Tetralogia

2 — Homem na prateleira (contos). São Paulo, Ática, 1979. ESGOTADO

3 — Grito empalhado (novelas). Rio de Janeiro, Civilização Brasileira, 1979. ESGOTADO

4 — Endereços úteis (contos). Rio de Janeiro, Codecri, 1984. ESGOTADO

5 — Poses (contos). São Paulo, Via Lettera, 2005. ESGOTADO

Trilogia romanesca

6 — Manuário de Vidal (romance). Rio de Janeiro, Codecri, 1981. ESGOTADO

7 — Anacrusa (romance). São Paulo, Nankin, 2004.

8 — O romance de Isabel (romance). São Paulo, Novo Século, 2013. Obra retirada do mercado logo que foi impressa, por decisão provocada pelo autor face a problemas de vária ordem.

Trilogia poética do desterro (1975-2015)

9 — Poesia sem pátria e sem verdade (poesia). Revisto em maio de 2015.

10 — Corpo (poesia). Concluído e revisto no curso de 2016.

11 — Poemas de extradição e exílio (poesia). Revisto em julho de 2015.

Trilogia de poesia narrativa infantil

12 — O besouro Carirá e a história do morango gigante (poema narrativo
infantil).
Em parceria com o artista plástico John Graz. São Paulo, Nankin Editorial, 2007.

13 — A tartaruga, a cobra e o espelho (poema narrativo infantil). Inédito.

14 — Xodó (poema narrativo infantil). Inédito.

Obras ensaísticas (monográficas ou de literatura comparada)

15 — Cesário Verde: um trapeiro nos caminhos do mundo (tese de doutoramento, policopiada). São Paulo, Departamento de Letras Clássicas e Vernáculas da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo, 1992.
O trabalho foi revisto em 1993, recebendo novo título:

16 — Cesário Verde: um poeta no meio-fio do paraíso (estudo literário).

17 — T. S. Eliot e Fernando Pessoa: diálogos de New Haven. São Paulo, Landy, 2004.

18 — Obra poética integral de Cesário Verde (1855-86). Organização, apresentação, tábua cronológica e cartas reunidas por Ricardo Daunt. São Paulo, Landy, 2006 (edição brasileira). ESGOTADO.

— Obra poétíca integral de CesárioVerde (1855-86).Organização, apresentação, tábua cronológica e cartas reunidas por Ricardo Daunt. Texto definitivo. Lisboa, Dinalivro, 2013 (edição portuguesa).

19 — A audácia to tédio. Panorama estético do Orpheu em Portugal
(estudo literário em 2 v. e 3 tomos). Inédito.

20 — Sobre o Orpheu . Ensaios. TriploV. Lisboa. Publicação eletrônica, março de 2012.
URL: www.triplov.com/letras/ricardo_daunt/orpheu/SOBRE_O_ORPHEU_ENSAIOS_DE_RICARDO_DAUNT-1.

21 — Orpheu: prosa, poesia e arte (ensaio). Ensaios. TriploV. Lisboa. Publicação eletrônica, setembro de 2012.
URL: www.triplov.com/letras/ricardo_daunt/orpheu/ORPHEU PROSA POESIA E ARTE_DE_RICARDO_DAUNT-1

Outras obras (teatro e ficção)

22 — Lauro/Laura (teatro). Em parceria com Julieta de Godoy Ladeira, registrado na Sociedade Brasileira de Autores Teatrais — SBAT em 1982.

23– A muralha da China (romance). Em parceria com Álvaro Cardoso Gomes.
São Paulo, T. A. Queiroz, 1982. ESGOTADO

24 — Blake versus Claude (novela). Porto Alegre, Mercado Aberto, 1990. ESGOTADO.

25 — Migração dos cisnes (romance). São Paulo, Global, 2010.

26 — De homens, bichos e coisas (contos e novelas). Antologia retrospectiva elaborada pelo autor, abarcando o período entre 1977 e 2005. Revista TriploV de artes, Religiões e Ciências. Lisboa. Publicação eletrônica, Nova Série: 41, out.-nov. 2013.
http://www.triplov.com/novaserie.revista/numero_41/ricardo_daunt/index.html

27 – Adamastor Finkel: um artista entre a sombra e a luz (romance). Concluído em julho de 2015, em sua versão definitiva.

Resenhas, recensões, artigos e ensaios publicados em periódicos (jornais, revistas, inclusive eletrônicas e publicações especializadas)

Prosa do tipo universal. Jornal do Brasil. Rio de Janeiro, 9/dez./1978, supl. Livro: 3.
Resenha de obra de ficção brasileira com a seguinte ref. bibliog.:
Godoy Ladeira, Julieta de — Dia de matar o patrão. São Paulo, Summus, 1978.

Exorcismos literários. Jornal do Brasil. Rio de Janeiro, 13/jan./1979, supl. Livro: 2.
Resenha de obra de ficção brasileira com a seguinte ref. bibliog.:
Bizellli, Antonio Edmilson — A correria. São Paulo, Símbolo, 1978.

Condenados à vida. Jornal do Brasil. Rio de Janeiro, 10/fev./1979, supl. Livro: 2.
Resenha de obra de ficção brasileira com a seguinte ref. bibliog.:
Louzeiro, José — O estranho hábito de viver. Rio de Janeiro, Record, 1979.

Anos de mudança. Jornal do Brasil. Rio de Janeiro, 10/mar./1979, supl. Livro: 2.
Resenha de obra de ficção brasileira com a seguinte ref. bibliog.:
Maffei, Eduardo — A greve. Rio de Janeiro, Paz e Terra, 1978.

A pane no fim. Jornal do Brasil. Rio de Janeiro, 24/mar./1979, supl. Livro: 2.
Resenha de obra de ficção brasileira com a seguinte ref. bibliog.:
Lobato, Manoel — Mentira dos limpos . São Paulo, Moderna, 1978.

Um rosto de menina. Isto é. São Paulo. Ano 3(113): 142, 21/fev./1979.
Resenha de obra de ficção brasileira com a seguinte ref. bibliog.:
Montello, Josué — Um rosto de menina. Brasília, Difel/MEC, 1979.

As sete pragas. Isto é. São Paulo. Ano 3(118): 76-77, 28/mar./1979.
Resenha de obra de ficção brasileira com a seguinte ref. bibliog.:
Pellegrini, Domingos — As sete pragas. Rio de Janeiro, Civilização Brasileira, 1979.

Retoques poéticos. Jornal do Brasil. Rio de Janeiro, 28/abr./1979, supl. Livro: 2.
Resenha de obra de ficção brasileira com a seguinte ref. bibliog.:
Jorge, Miguel — Avarmas. São Paulo, Ática, 1978.

Os venenos de Lucrécia. Encontros com a Civilização Brasileira. Rio de Janeiro. Civilização Brasileira, 10: 283-285, abr./1979.
Resenha de obra de ficção brasileira com a seguinte ref. bibliog.:
Coutinho, Sônia — Os venenos de Lucrécia. São Paulo, Ática, 1978.

Um copo de cólera. Encontros com a Civilização Brasileira. Rio de Janeiro.
Civilização Brasileira, 10: 285-286, abr./1979.
Resenha de obra de ficção brasileira com a seguinte ref. bibliog.:
Nassar, Raduan — Um copo de cólera. São Paulo, Cultura, 1978.

Encosta — a saga de uma família. O Globo. Rio de Janeiro, 19/ago./1979, supl. Livros: 8.
Resenha de obra de ficção brasileira com a seguinte ref. bibliog.:
França de Lima, Geraldo — A pedra e a pluma. Rio de Janeiro, Francisco Alves, 1979.

Vaias e aplausos para uma noite mágica. O Globo. Rio de Janeiro, 26/ago./1979,
supl.Livros: 7.
Resenha de obra de ficção brasileira com a seguinte ref. bibliog.:
Sobreira, Francisco — A noite mágica. São Paulo, Ática, 1979.

Os mesmos clichês, a mesma história. O Globo. Rio de Janeiro, 9/set./1979,
supl. Livros: 5
Resenha de obra de ficção alemã com a seguinte ref. bibliog.:
Simmel, J. M. — Ainda estamos vivos. Trad. bras. Rio de Janeiro, Nova Fronteira, 1979.

Um romance. Ou, antes, um código sem chaves. O Globo. Rio de Janeiro, 7/out../1979, supl. Livros: 5.
Resenha de obra de ficção brasileira com a seguinte ref. bibliog.:
Rodrigues, Jaime — Phutatorius. Porto Alegre, Globo, 1979.

João Ubaldo, ou ação na forma de palavra. Folha de S. Paulo. São Paulo, 14/out../1979, supl. Ilustrada — Livros: 55.
Resenha de obra de ficção brasileira com a seguinte ref. bibliog.:
Ubaldo Ribeiro, João — Vila Real. Rio de Janeiro, Nova Fronteira, 1979.

Só para espantar leitores. Folha de S. Paulo. São Paulo, 4/nov./79,
supl. Ilustrada — Livros: 45.
Resenha de obra de ficção brasileira com a seguinte ref. bibliog.:
Chagas, Dolabela — O fim da era dos Peixes. São Paulo, Cultura, 1979.

Rubem Fonseca, além da literatura, com o humano. Folha de S. Paulo. São Paulo,
18/nov./1979, supl. Ilustrada — Livros: 51.
Resenha de obra de ficção brasileira com a seguinte ref. bibliog.:
Fonseca, Rubem — O cobrador. Rio de Janeiro, Nova Fronteira, 1979.

Um copo de cólera. Anuário das Artes . São Paulo, Associação Paulista de Críticos
de Arte: s. m. p., 1978.
Resenha reimpressa de obra de ficção de Nassar, Raduan, op. cit.

O que é bom já nasce feito. Folha de S. Paulo. São Paulo, 6/jan./1980,
supl. Ilustrada — Livros: 45.
Resenha de obra de ficção brasileira com a seguinte ref. bibliog.:
Lins, Osman — O visitante. São Paulo, Summus, 1980.

As terras de Angola abertas para o Brasil. Folha de S. Paulo. São Paulo, 13/jan./1980, supl. Ilustrada — Livros: 53.
Resenha de obra de ficção angolana com a seguinte ref. bibliog.:
Vieira, José Luandino — A vida verdadeira de Domingos Xavier. São Paulo,
Ática, 1980.

“Poranduba”, colagem de ficção e história. Folha de S. Paulo. São Paulo,
10/fev./1980, supl. Ilustrada — Livros: 53.
Resenha de obra de ficção brasileira com a seguinte ref. bibliog.:
Batinga, Fernando — Poranduba. São Paulo, Ática, 1980.

A vida de Cristo em um bom romance brasileiro. Folha de S. Paulo. São Paulo,
30/mar./1980, supl. Ilustrada — Livros: 51.
Resenha de obra de ficção brasileira com a seguinte ref. bibiog.:
Solha, W. J. — A verdadeira estória de Jesus. São Paulo, Ática, 1980.

Gramsci com vários erros de revisão. Folha de S. Paulo. São Paulo, 1/jun./1980,
supl. Ilustrada — Livros: 51.
Obra de ensaio sociológico sobre o pensamento do cientista político italiano,
com a seguinte ref. bibliog.:
Innocentini, Mário — O conceito de hegemonia em Gramsci. São Paulo, Tecnos, 1980.

Aercio Flávio Consolin, mestre do conto nacional. Folha de S. Paulo. São Paulo,
8/jun./1980, supl. Ilustrada — Livros: 45.
Resenha de obra de ficção brasileira com a seguinte ref. bibliog.:
Consolin, Aercio Flávio — A dança das auras. São Paulo, Moderna, 1980.

Nejar recria a aurora da linguagem para chegar ao paraíso da palavra.
Folha de S. Paulo. São Paulo, 22/dez./1990, supl. Letras: F-9.
Resenha de obra poética brasileira com a seguinte ref. bibliog.:
Nejar, Carlos — A idade da aurora. São Paulo, Massao Ohno, 1990.

Peripécias do herói moderno. O Estado de S. Paulo. São Paulo, 16/fev./1991,
supl. Cultura: 6-7.
Artigo sobre poesia do século XIX.

Duelo poético na cidade. As peripécias do herói moderno. Colóquio/Letras.
Lisboa, Fundação Calouste Gulbenkian, 125/6: 47-52, jul.-dez.1992.
Reprodução do artigo anterior.

Perpetinha: um drama nos babaçuais. Colóquio/Letras. Lisboa,
Fundação Calouste Gulbenkian,125/6: 328-329, jul.-dez. 1992.
Recensão de obra de ficção brasileira com a seguinte ref. bibliog.:
Bernardes, Carmo — Perpetinha: um drama nos babaçuais.
Goiânia, Cegraf-UFG, 1991.

Afinal, toda a obra de Sá-Carneiro. Jornal da Tarde. São Paulo, 22/abr./95,
Caderno de Sábado: 8.
Artigo sobre a vida e a produção literária de Mário de Sá-Carneiro,
quando do lançamento de sua obra completa, com a seguinte ref. bibliog.:
Sá-Carneiro, Mário — Obra completa. Rio de Janeiro, Nova Aguilar, 1995.

Para se aventurar nas veredas do poeta. Jornal da Tarde. São Paulo, 22/abr./95,
Caderno de Sábado: 8.
Resenha sobre poesia, teatro e ficção portuguesas, com a seguinte ref. bibliog.:
Sá- Carneiro, Mário — Obra completa. Rio de Janeiro, Nova Aguilar, 1995.

Obra completa de Cesário Verde. Colóquio/Letras. Lisboa,
Fundação Calouste Gulbenkian, 135-6: 227-8, jan.-jun. 1995.
Recensão sobre poesia portuguesa com a seguinte ref. bibliog.:
Verde, Cesário — Obra completa de Cesário Verde. (Org., pref.
e notas de Joel Serrão). 6. ed., Lisboa, Livros Horizonte, 1992.

Narrativa intrigante, num mundo ideal. Jornal da Tarde. São Paulo, 22/jul./95,
Caderno de Sábado: 6
Resenha sobre poesia e prosa francesas, com a seguinte ref. bibliog.:
Mallarmé, Stéphane — Prosas de Mallarmé. Trad. bras. de Dorothée de Bruchard.
São Paulo, Paraula, 1995.

Nádegas, sexo e salvação do espírito. Salada Paulista. São Paulo, SindSampa, 1(1): 50, nov.1998.
Artigo sobre a função da literatura, Paul Valéry, etc.

Complexo de marketing e complexo de conto. Salada Paulista. São Paulo, SindSampa, 1(2): 57, dezembro/1998.
Artigo sobre mercado editorial e novos lançamentos de antologias de contos brasileiros.

A audácia do tédio — sobre algumas raízes profundas do movimento do Orpheu. Agulha. Fortaleza, 46: s. n. p., julho, 2005 [72 p. aprox.]
Ensaio sobre o movimento pluriartístico do Orpheu e algumas de suas mais remotas e determinantes influências no campo da poesia.
URL: www.revista.agulha.nom.br/ag46daunt.htm

A audácia do tédio — sobre algumas raízes profundas do movimento do Orpheu. TriploV. Publicação eletrônica. Lisboa, s. n., 2005.
Ensaio sobre o movimento pluriartístico do Orpheu e algumas de
suas mais remotas e determinantes influências no campo da poesia.
URL: www.triplov.com/letras/ricardo_daunt/orpheu/pessoa.htm.

Apontamentos sobre o nascimento do Orpheu. Revista Brasileira. Rio de Janeiro, Academia Brasileira de Letras, 46: 225-47, jan.-fev.-mar., 2006.
ISSN 0103-7072.
Ensaio sobre os antecedentes imediatos do movimento do Orpheu em Portugal.

Apontamentos sobre o nascimento do Orpheu. Vértice. Lisboa. Editorial Caminho, 127: 113-28, mar.-abr. 2006.
Ensaio sobre os antecedentes e primórdios do movimento do Orpheu em Portugal.

Orpheu 3: a revista que não houve. Vértice. Lisboa. Editorial Caminho, 135: 19-31,
jul.-ago., 2007.
Ensaio sobre os antecedentes e primórdios do movimento do Orpheu em Portugal.

O sentido de Orfeu na história universal: da Grécia a Portugal.Triplov. Lisboa. Publicação eletrônica. 2007 URL: www.triplov.com/letras/ricardo_daunt/Sentido-de-Orpheu Ensaio sobre o sentido de ‘Orfeu’ na História Ocidental.
A passagem de Ronald de Carvalho por Portugal.Triplov. Lisboa. Publicação Eletrônica. 2007. URL: www.triplov.com/letras/ricardo_daunt/Ronald-de-Carvalho/ Ensaio literário sobre o poeta brasileiro Ronald de Carvalho.
Amadeo de Souza-Cardoso e Fernando Pessoa: simultaneísmo órfico e interseccionismo. Aproximações. Vértice. Lisboa. Editorial Caminho, 136: 51-60, set.-out. 2007. Ensaio sobre o pintor Souza-Cardoso e o poeta Fernando Pessoa.
Amadeo de Souza-Cardoso e Fernando Pessoa: simultaneísmo órfico e interseccionismo. Aproximações. Sibila. São Paulo. Publicação eletrônica. Out. 2007. URL:www.sibila.com.br/mapa40cardosopessoa.html. Ensaio sobre o pintor Souza-Cardoso e o poeta Fernando Pessoa.

Amadeo de Souza-Cardoso e Fernando Pessoa: simultaneísmo órfico e interseccionismo.Aproximações. Triplov. Lisboa. Publicação eletrônica. 2007. URL: www.triplov.com/letras/ricardo_daunt/Amadeo-Souza-Cardoso/ Ensaio sobre o sentido de ‘Orfeu’ na História Ocidental.
A passagem de Ronald de Carvalho por Portugal. Sibila. São Paulo. Publicação eletrônica. 2008.
URL:www.sibila.com.br/mapa42rdecarvalho.html.
Ensaio histórico e literário sobre o poeta brasileiro Ronald de Carvalho.

Sobre a ‘Balada das três mulheres do sabonete Araxá’, de Manuel Bandeira. Uma conferência para ouvidos moucos. Sibila. São Paulo. Publicação eletrônica. 2008.
URL:www.sibila.com.br/mapa50araxa.html.
Ensaio literário sobre o poema acima, do poeta brasileiro Manuel Bandeira.

Para entender um pouco mais de Manuel Bandeira. Triplov. Lisboa. Publicação Eletrônica. 2008.
URL: www.triplov.com/letras/ricardo_daunt/Manuel-Bandeira/index.html.
Ensaio literário sobre o poeta brasileiro.

Os seguidores imediatos do movimento do Orpheu. TriploV. Lisboa. Publicação eletrônica.. 25/11/2008.
URL: www.triplov.com/letras/ricardo_daunt/Seguidores-do-Orpheu/index.html
Ensaio literário sobre os seguidores imediatos do movimento do Orpheu.

O sentido de Orfeu na história universal: da Grécia a Portugal. Sibila. São Paulo. Publicação Eletrônica. 02/2009.
URL: www.sibila.com.br/mapa53orfeuhistoria.html.
Ensaio histórico-literário sobre o sentido e os significados de Orfeu.

Orpheu 3 — a revista que não houve. Ensaio. TriploV. Lisboa, Publicação eletrônica, 2012
URL: www.triplov.com/letras/ricardo_daunt/orpheu/orpheu3.htm.
Ensaio histórico sobre a revista Orpheu, n. 3.

Sobre o Orpheu. Ensaios. TriploV. Lisboa. Publicação eletrônica, 2012.
URL: www.triplov.com/letras/ricardo_daunt/orpheu/SOBRE_O_ORPHEU ENSAIOS_DE_RICARDO_DAUNT-1.
Livro digital que reúne os ensaios do autor sobre o movimento do Orpheu. Março/2012.

Uma visitação intempestiva do Autor a um ensaio que preparou para o Jornal da Tarde (de São Paulo), sobre Mário de Sá-Carneiro por ocasião do lançamento brasileiro de sua Obra Completa, em 1995.
Ensaio literário sobre a obra do poeta português Mário de Sá-Carneiro, publicado na Revista TriploV de Artes, Religiões e Ciências. Maio/2012.
URL: www. novaserie.revista.triplov.com/numero27/ricardo_daunt/index.html
ISSN 2182-147X
Ensaio sobre a obra de Mário de Sá-Carneiro e seu papel no movimento moderno de Portugal.

Orpheu — decantação da rebeldia: o se seguidores. Ensaio. Revista TriploV de Artes, Religiões e Ciências. Junho/2012.
URL: www.novaserie.revistatriplov.com/numero28/ricardo_daunt/indez.html.
ISSN 2182-147X
Ensaio literário sobre história e poesia portuguesa após o surgimento do Orpheu.

Mário de Sá-Carneiro. Ensaio. Sibila: poesia e cultura. Ano 12:10 de julho de 2012.
ISSN 1806-289X
URL: www.sibila.com.br/index.php/mapa-da-lingua/2180-mario-de-sa-carneiro
Ensaio literário sobre o poeta português Mário de Sá-Carneiro.

Orpheu: prosa, poesia e arte. Ensaio. Revista TriploV de Artes, Religiões e ciências. Outubro/2012.
URL: http://www.triplov.com/novaserie.revista/numero_32/ricardo_daunt/index.html
Examina os programas de arte estampados na revista Orpheu.

Para entender um pouco mais de Manuel Bandeira. Revista Brasileira. Rio de Janeiro. Academia Brasileira de Letras. Fase VIII, Ano IV, n. 85: 137-150. Out., nov., dez. 2015.
ISSN 0103-7072.
Ensaio literário sobre o poeta Manuel Bandeira.

Poesia e ficção, publicadas em periódicos e revistas impressas ou eletrônicas

O último dia. Símbolo. São Paulo, Summus, v 1(2): 10, jun/1977.
Posteriormente incluído em Homem na prateleira.

A companheira. Movimento. São Paulo, Movimento, 108, Estórias brasileiras: 2O, 25/jul/1977.
Posteriormente incluído em Homem na prateleira.

Máquinas infernais. O Popular. Goiânia, 6/nov/1977, supl. Cultural: 2.
Posteriormente incluído em Homem na prateleira.

O último dia O Popular. Goiânia, 16/abril/1978, supl. Cultural: 5.
Já mencionado.

Cristal. Lui. São Paulo, Ed. Três, 18: 84-88, set/1978.
Posteriormente incluído em Homem na prateleira.

Parceria. Encontros com a Civilização Brasileira. Rio de Janeiro, Civilização Brasileira, 15: 159-162, set/1979.
Não incluído em livro.

Quadro familiar. O Estado de S. Paulo. São Paulo, ?/jan/1982, supl. Cultural: ?
Conto posteriormente incluído no livro Endereços úteis.

Acima da matéria. Pau Brasil. Publicação bimestral sobre Ecologia e Cultura. São Paulo, Departamento de Águas e Energia Elétrica — DAEE, ano III, 16: 41-42, jan-fev/1987.
Na Castle Market Street. E. São Paulo, Serviço Social do Comércio — SESC, ano 5: 38-40, jan/1999.
Conto, posteriormente incluído na livro Poses.

Poesia sem pátria e sem verdade (15 poemas escolhidos). TriploV. Lisboa, 2005
URL: www.triplov.com/letras/ricardo_daunt/patria/index.htm
Reunião de diversos poemas integrantes da obra Poesia sem pátria e sem verdade.
Ilustrados.

Corpo: poemas e apontamentos plásticos de Ricardo Daunt. TriploV.Lisboa, 2006.
URL: www.triplov.com/letras/ricardo_daunt/corpo/index.htm.
Reunião de 6 poemas da obra Corpo.

Corpo (alguns poemas). Revista Brasileira. Rio de Janeiro. Academia Brasileira de Letras, Fase VII, ano XIII, 50: 147-9, jan.-fev.-mar. 2007
ISSN 0103-7072.

4 novíssimos poemas de Ricardo Daunt. Triplov. Lisboa. Publicação eletrônica. Set. 2007.
www.triplov.com/letras/ricardo_daunt/4novissimos/index.htm.
Quatro poemas do autor.

In the garage. Triplov. Lisboa. Publicação eletrônica. Nov. 2007. www.triplov.com/letras/ricardo_daunt/Short-stories/Garage.htm
Conto.

Capítulo 1 – Migração dos cisnes. Revista TriploV de artes, Religiões e Ciências.
Lisboa. Nova Série: n. 08-09, out. 2010.
www.novaserie.revistatriplov.com/numero_08/ricardo_daunt/index.html
Reprodução de capítulo da obra.

De homens, bichos e coisas (contos e novelas). Antologia retrospectiva elaborada pelo autor, abarcando o período entre 1977 e 2005. Revista TriploV de Artes, Religiões e Ciências. Lisboa. Publicação eletrônica, Nova Série: 41, out.-nov. 2013.
http://www.triplov.com/novaserie.revista/numero_41/ricardo_daunt/index.html