JOÃO SARMENTO PIMENTEL
Foto do Arquivo Científico Tropical:
http://actd.iict.pt/view/actd:AHUD21774
João Maria Ferreira Sarmento Pimentel (Eixes, Mirandela, 14 de Dezembro de 1888 — São Paulo, 13 de Outubro de 1987) foi um oficial de Cavalaria do Exército Português, escritor e político que se distinguiu na luta contra a Monarquia e governos ditatoriais. Como aluno da Escola do Exército participou nos movimentos da Rotunda, ao lado de Machado Santos, nos dias 3 a 5 de Outubro de 1910, de que resultou a implantação da República Portuguesa. Participou nas campanhas do Sul de Angola, esteve na Flandres, liderou revoltas várias, a última das quais em 1927. Exilou-se no Brasil, onde morreu, tendo entretanto vindo à Galiza para colaborar numa revolta falhada em 1931 e depois, no 25 de Abril, a Portugal, para festejar.
 
Publicações, cartas e outros documentos  de João Sarmento Pimentel  (para ele ou sobre)
Levantamento em curso
 
 
 
Grande Enciclopédia Portuguesa e Brasileira - Verbete sobre Sarmento Pimentel. Lisboa, Rio, Editorial Enciclopédia, s/d, Vol. XXVII, p. 753
Historia do Regimen republicano em Portugal. 2 vols. Vol. I - Montalvor; Vol. II - Lopes de Oliveira. Lisboa, 1932
João Sarmento Pimentel (1915) - Relatório da diligência a Otchinjou. In: Pereira de Eça, general (1921) - Campanha do sul de Angola em 1915; relatório do general Pereira de Eça. Lisboa, Imprensa Nacional, pp. 461-463, com mapas desenhados por ele.
João Sarmento Pimentel (1915) - Relatório do reconhecimento de Naulila. Com 2 mapas desenhados por ele. In: Pereira de Eça, general (1921) - Campanha do sul de Angola em 1915; relatório do general Pereira de Eça. Lisboa, Imprensa Nacional, pp. 551-552.
João Sarmento Pimentel (1915) - Relatório do reconhecimento de Naulila. Com 2 mapas desenhados por ele. In: Pereira de Eça, general (1921) - Campanha do sul de Angola em 1915; relatório do general Pereira de Eça. Lisboa, Imprensa Nacional, pp. 551-552.
João Sarmento Pimentel (1915) - Relatório do comandante dos auxiliares boers. In: Pereira de Eça, general (1921) - Campanha do sul de Angola em 1915; relatório do general Pereira de Eça. Lisboa, Imprensa Nacional, pp. 555-558.
1915. Campanha do sul de Angola. Enciclopédia Portuguesa e Brasileira, vol. XXVII.
 
 
1919, fevereiro. Começa a escrever nos jornais do Porto e Lisboa.
 
João Sarmento  Pimentel (1922) - «A clareira dos mortos». Capítulo XIII de «Naulila», de Augusto Casimiro, Lisboa, editado pela Seara Nova, 1922. Reproduzido também em Ernesto Moreira dos Santos, Combate de Naulila, Guimarães, 1959. O texto em questão é descrito como «apontamentos do alferes Sarmento Pimentel".
 
1927? Ao Povo Português (ler a carta) a recusar a ditadura, a censura, a acusar de fraude o regime e a reclamar pelo regresso à pureza da República. "Chegamos pois  a esta situação paradoxal, de vivermos numa República quase exclusivamente apoiada pelos monárquicos, que nos seus jornais fazem a defesa sistemática da Ditadura, como se facto no 28 de Maio  eles houvessem sido os triunfadores.". Assinada pelos oficiais do Exército e da Armada: General Gastão de Sousa Dias, Jaime de Morais, Chefe do Comité Militar Central, Jaime Cortesão, Capitão médico miliciano e delegado do C.M.C. no Norte, Capitão João Sarmento Pimentel, delegado co Comité do Norte, João Pereira de Carvalho, do Comité Militar do Norte. Arquivo da Torre do Tombo, Proc. 3090 / 4237, nº 200. Procurar data e local.


1927. Participa na revolta de 1927. Ver revolta dos bibliotecários.

Sarmento Pimentel (1933) - “Carta (de uma Associação Portuguesa) assinada por Sarmento Pimentel, agradecendo o envio do retrato de Salazar, pela Federação das Associações Portuguesas do Brasil, datado de 4 de Maio de 1933. Arquivo Salazar do Vimieiro". (Via Heloisa Paulo (2000), Estado Novo e Propaganda em Portugal, Coimbra, Quarteto Editora)

Sarmento Pimentel - "Ditadura Arruinadora" in Boletim da Associação Dr. Afonso Costa, Rio de Janeiro, Associação Dr. Afonso Costa, 1933, p. 13 (Nota de rodapé, pág. 393, via Heloisa Paulo, Aqui também é Portugal. A Colónia Portuguesa no Brasil e o Salazarismo. Coimbra, Quarteto Editora.

João Sarmento Pimentel (1958) - Carta aberta ao Exército Português. Fundação Mário Soares. Assunto: "Carta aberta ao Exército Português", por João Sarmento Pimentel (capitão português exilado no Brasil e Presidente, em S. Paulo, do Centro Republicano Português) manifestando a sua oposição ao salazarismo e sugerindo a nomeação de um governo militar que marque eleições "livres e honestas". Arquivo Mário Soares.
In: http://casacomum.org/cc/visualizador?pasta=02582.013

João Sarmento Pimentel (1962) - Memórias do Capitão. Primeira Parte, São Paulo.  

João Sarmento  Pimentel (1968, São Paulo, 18 de fevereiro) - João Sarmento Pimentel é o primeiro de uma lista de subscritores de uma carta dirigida ao Bastonário da Ordem dos Advogados, Lisboa, com o objetivo de pedir a sua intercessão para se porem em liberdade Mário Soares, Francisco Sousa Tavares e Urbano Tavares Rodrigues, "presos sem culpa formada, em frontal violação dos princípios da Declaração Universal dos Direitos do Homem, subscrita pelo Governo de Lisboa". Arquivo da Fundação Mário Soares.

 
 
João Sarmento Pimentel (1969) - Cartas para Jorge de Sena. In: Gilda Santos (e Mécia de Sena) (1969, consultado em março de 2015) - Notas sobre regressos a Portugal: Cartas inéditas de Sarmento Pimentel e Jorge de Sena. São umas duzentas cartas que existem, várias publicadas online, em:
http://www.lerjorgedesena.letras.ufrj.br/antologias/escritos-pessoais/notas-
sobre-regressos-a-portugal-cartas-ineditas-de-sarmento-pimentel-e-jorge-de-sena/
 

João Sarmento Pimentel (-1971-) - Correspondência com Francisco Ramos da Costa. 35 documentos. Sarmento Pimentel deve ter artigos publicados no jornal República. Um dos assuntos da correspondência entre ambos é a Ação Socialista, primeiro passo para a fundação do PS. Em São Paulo lê o Portugal Socialista. Marcelo Caetano recusa deixar regressar a Portugal o irmão de João, Francisco Sarmento Pimentel. Arquivo Mário Soares.

 In: http://casacomum.org/cc/visualizador?pasta=04278.003#!7

1973. Mário Soares passou uma semana em São Paulo com Sarmento Pimentel, em novembro ou antes. As mais ilustres personalidades estiveram reunidas na casa da Av. Itacolumi, residência de Sarmento Pimentel. Correspondência com Francisco Ramos da Costa. Arquivo Mário Soares. In: http://casacomum.org/cc/visualizador?pasta=04278.003#!7

1974. “Chega amanhã o comandante Sarmento Pimentel”. República. Nº  15437, 15 de Maio de 1974.

 
Publicidade à edição portuguesa das Memórias do Capitão.
Diário de Lisboa
, 28 de abril de 1974
Arquivo da Fundação Mário Soares
http://www.fmsoares.pt/
 

República, Nº 15440, 18 Maio de 1974 

João Sarmento  Pimentel (1974) - Memórias do Capitão. Porto, Editorial Inova. 2ª ed., completa. 

 
 
[João Sarmento  Pimentel] Norberto Lopes (1976) - Sarmento Pimentel ou uma geração traída. Diálogos com o autor das “Memórias do Capitão”. Lisboa, Editorial Aster.

1976, 12 de Novembro. Nesta data Sarmento Pimentel estava em Lisboa, de acordo com o autógrafo num exemplar das Memórias do Capitão, 1ª ed..

[João Sarmento  Pimentel] Norberto Lopes (1977) - Sarmento Pimentel ou uma geração traída. (Diálogos de Norberto Lopes com o autor das “Memórias do Capitão”). Prefácio de Vitorino Nemésio. 2ª edição com documentos inéditos da luta contra a ditadura. Lisboa, Editorial Aster.

João Sarmento  Pimentel (1980, São Paulo, 20 de dezembro) - Carta ao amigo embaixador Mário Neves  a agradecer diligências para que o seu espólio (100 pastas com documentos) fosse entregue à Biblioteca de Mirandela. Arquivo da Fundação Mário Soares. "O Estado Novo tinha medo à minha prosa. Eu falava das nascentes do Rio Sousa, terra da minha mulher. O tropa, façanhudo censor, obedecendo às ordens do fradalhão de Stª Comba, foi terminante. Passei-lhe a mão pelo pêlo, passando a assinar João Silva. Foi uma beleza!". Considerar a existência de pseudónimos de Sarmento Pimentel, em especial João Silva, pelo menos no Jornal de Felgueiras, onde este episódio se verificou.

2011. Miguel Carvalho. Lúcio Feteira. A história desconhecida. Vol. I - Das origens à glória. Vila do Conde, Editora QuidNovi, 2011

 
 
Procurar

1927? Apelo à Nação, na Soc. De Geografia, feito pelos diretores da Seara Nova.

Anenhembi, Brasil.

Publica nos jornais de Lisboa e Porto a partir de fevereiro de 1919.

 

Diretório aberto a 19 de dezembro de 2014

 

 







 



hospedagem
Cyberdesigner:
Magno Urbano